Artesãs brasileiras levam moda sustentável para feira de orgânicos na Alemanha


Cerca de 150 produtos de 18 grupos de artesãs organizadas por meio da Cooperativa Central Única das Artesãs (Cooperúnica), que representa 16 estados brasileiros, participarão desta quarta-feira (15) a sábado (18) da Biofach Nuremberg, na Alemanha. O evento, voltado para o setor de produtos orgânicos, contará com a participação de 2,6 mil expositores e 45 mil visitantes de 130 países.

A participação brasileira será por meio do Programa Talentos do Brasil, que estará pela primeira vez na feira com um espaço voltado para moda a sustentável. Os produtos apresentados são produzidos com fibras de tururi, babaçu e buriti, cipós, sementes da Amazônia, algodão orgânico, lã, crina de cavalo, entre outros. A participação do Talentos do Brasil é resultado da parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Sebrae, com apoio do Instituto de Promoção do Desenvolvimento (IPD) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). “A expectativa para este evento é reafirmar no mercado europeu os produtos e a moda sustentável brasileira, valorizando a participação do Talentos do Brasil no mercado internacional. A ideia é apresentar a diversidade da oferta de produtos da agricultura familiar. O espaço vai reforçar o conceito do Talentos do Brasil, que caracteriza a valorização da identidade, das matérias primas e do produto tipicamente brasileiro, feito pelas mãos das artesãs da agricultura familiar”, diz Patrícia Mendes, coordenadora do programa Talentos do Brasil. Talentos do Brasil O Talentos do Brasil foi criado em 2005 para estimular a troca de conhecimentos entre artesãs e artesãos brasileiros para gerar renda e agregar valor ao trabalho de forma sustentável. As 2 mil artesãs formam a Cooperativa Central Única das Artesãs (Cooperúnica), que hoje oferece mais de 2 mil produtos em seu portfólio. Estilistas e designers reconhecidos nacional e internacionalmente também integram o projeto. Desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Sebrae, o Talentos do Brasil conta com as parcerias do Programa Texbrasil (Abit e Apex-Brasil) e com o apoio da Cooperação GIZ e do Ministério do Turismo. Matéria-prima como diferencial
A Lã Pura, cooperativa de artesãs do Rio Grande do Sul, é um dos 18 grupos brasileiros que vão marcar presença na feira. Desde 2005 em atividade, o grupo produz mantas, casacos, cachecóis e gorros, produtos em que predominam o uso da lã como matéria-prima praticamente exclusiva.

“São peças únicas que casam perfeitamente com o inverno rigoroso da Europa. No sul do Brasil, a estação chega a ser fria, mas passa rápido. Então a nossa expectativa é de que a visibilidade dada por feiras internacionais como esta impulsione a produção para o ano inteiro”, conta a diretora administrativa, Cleni Feldberg. Para ela e para as 47 artesãs que confeccionam os produtos da Lã Pura, este é um momento importante para o Brasil e seus produtos ganharem destaque. “Não é só o artesanato brasileiro que está ganhando espaço, é a cultura brasileira que será vista” completa Feldberg.

Assim como a lã brasileira, o tururi, uma espécie de palmácea originária da palmeira popularmente conhecida como buçu, também terá destaque internacional. São as fibras extraídas do cacho de frutos da planta que, entrelaçadas, dão origem a bolsas, chapéus, sacolas, presépios e bonecas elaborados pelas artesãs da cooperativa Tururi de Muaná, do Pará. “Por ser um produto diferente, até meio desconhecido, em qualquer feira ou exposição que a gente vá, é um sucesso total. Todo mundo quer conhecer, quer comprar” conta a presidente da cooperativa, Sueli Paes Magno.

Saiba mais sobre o programa Talentos do Brasil [http://www.mda.gov.br/portal/saf/programas/talentosdobrasil].
Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Sobre nordestevinteum
Responsabilidades Editoriais A Revista Nordeste VinteUm, dentro de seu caráter pluralista, se pretende um veículo aberto à participação e à construção coletiva do seu conteúdo. Para tanto, trabalha com o Conselho Editorial designado pela Editora Assaré. Nesta instância, são discutidas estratégias para viabilizar e manter a periodicidade da revista, garantir o cumprimento da sua política editorial, definir os nomes dos colaboradores e acompanhar, através de ouvidoria, a relação público leitor-revista. Tudo em respeito aos ditames do bom jornalismo, cujo compromisso com a ética e a verdade são inarredáveis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: