Número de mestres e doutores no mercado dobra em dez anos


O número de profissionais com título universitário cresceu próximo de 100% no Brasil nos últimos dez anos. Em 2002, o País contava com 23,4 mil mestres e 6,8 mil doutores. Neste ano, devem se formar 41,3 mil mestres e 13,3 mil doutores.

Esse crescimento pode ser atribuído ao estímulo à pós-graduação em todas as áreas do conhecimento, com o aumento na oferta de bolsas de estudos. Entre os programa de estímulo está o Ciência sem Fronteiras, implementado pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação. Criado para incentivar o desenvolvimento da ciência e da tecnologia no Brasil, o programa promove o intercâmbio de estudantes de graduação e de pós-graduação e a mobilidade internacional de estudantes e pesquisadores.

O Ciência sem Fronteiras prevê a oferta de aproximadamente 75 mil bolsas em quatro anos, nas modalidades graduação-sanduíche, educação profissional e tecnológica e pós-graduação (doutorado-sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado).

Um dos países com intercâmbio consolidado é a Alemanha. Já foi firmado plano de trabalho para estreitar a parceria, a partir da concessão de bolsas a brasileiros, desde graduação-sanduíche até o pós-doutorado, para estudos e pesquisas naquele país. Também foi assinada carta de intenções com a Fundação Alexander von Humboldt (AvH) e firmado novo acordo de cooperação com o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (Daad), que pretende oferecer mais de três mil bolsas nas modalidades graduação-sanduíche, doutorado pleno, doutorado-sanduíche e pós-doutorado.

Países como a Bélgica e a Finlândia também já firmaram memorandos que preveem cooperação e intercâmbio de estudantes e pesquisadores, organização de seminários, simpósios e demais eventos na área de ciência e tecnologia. Itália, Canadá e França também têm parceria com o Ciência sem Fronteiras.

 

Fonte: Terra

Sobre nordestevinteum
Responsabilidades Editoriais A Revista Nordeste VinteUm, dentro de seu caráter pluralista, se pretende um veículo aberto à participação e à construção coletiva do seu conteúdo. Para tanto, trabalha com o Conselho Editorial designado pela Editora Assaré. Nesta instância, são discutidas estratégias para viabilizar e manter a periodicidade da revista, garantir o cumprimento da sua política editorial, definir os nomes dos colaboradores e acompanhar, através de ouvidoria, a relação público leitor-revista. Tudo em respeito aos ditames do bom jornalismo, cujo compromisso com a ética e a verdade são inarredáveis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: