País ocupa último lugar no Mercosul na Equidade de Gênero, revela pesquisa


 

A rede internacional Social Watch publicou, na semana passada, o Índice de Equidade de Gênero 2012. A pesquisa tem como objetivo avaliar a disparidade entre homens e mulheres e leva em consideração critérios como educação, atividade econômica e empoderamento da mulher.

 

Foram avaliados mais de 150 países para o estabelecimento de um ranking de igualdade de gênero. Na pesquisa, é possível que os países recebam notas que vão até 100 – que representaria a igualdade total -, contudo, nenhum país atingiu esse patamar.

 

Os dez países mais bem colocados são: Noruega (0,89), Finlândia (0,88), Islândia (0,87), Suécia (0,87), Dinamarca (0,84), Nova Zelândia (0,82), Espanha (0,81), Mongólia (0,81), Canadá (0,80) e Alemanha (0,80).

 

No outro extremo, os países que tiveram as piores colocações foram: Índia (0,37), Congo (0,36), Mali (0,32), Costa do Marfim (0,32), Paquistão (0,29), República Democrática do Congo (0,29), Nigéria (0,26), Chade (0,25), Iêmen (0,24) e Afeganistão (0,15).

 

Na região da América Latina e Caribe, os países Trinidad e Tobago e Panamá tiveram as melhores colocações, com 0,78 e 0,76 pontos, respectivamente. Já os piores colocados na região foram: El Salvador, com 0,62; Guatemala, com 0,49; e Haiti, com 0,48 pontos.

 

As notas dos países que fazem parte do Mercosul foram intermediárias. O índice de Equidade de Gênero (IEG) para Uruguai e Argentina foi 0,74 e para o Paraguai foi 0,73.

 

O Brasil ficou na última posição do bloco, com 0,72. Para Sílvia Camurça, integrante da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), o problema do Brasil não está relacionado à educação, mas à atividade econômica e ao empoderamento das mulheres. Nestes quesitos, as notas do País foram 0,98, 0,75 e 0,43, respectivamente.

 

“A taxa de escolaridade das mulheres é mais alta, temos até dois anos a mais de estudos do que os homens, mas continuamos ganhando menos do que eles. Infelizmente, a educação não tem garantido maior renda. No Brasil, as mulheres ganham cerca de 70% do salário dos homens, enquanto em outros países este índice chega a 80, 85%”, esclarece Camurça.

 

Ela também explica que a atividade econômica foi um fator que puxou o País para baixo no ranking, tendo em vista que apesar de ter enfrentado bem a crise econômica surgida em 2008, os empregos foram gerados prioritariamente na indústria branca, automobilística e nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que empregam homens. Ao mesmo tempo, o orçamento para as áreas de educação e saúde – que mais empregam mulheres – foram reduzidos.

 

O empoderamento político, quesito no qual o Brasil teve a nota mais baixa, é considerado por Camurça o fator mais importante. Ela aponta que apesar de termos uma mulher na presidência, existem poucas mulheres na política, situação que se sustenta por fatores como a cumplicidade entre as alas patriarcais dos poderes.

 

Para a integrante da AMB, depois da violência contra a mulher, o bloqueio da entrada das mulheres na política é a segunda pior expressão do patriarcalismo.

 

Fonte: Observatório do Brasil Igualdade de Gênero

Sobre nordestevinteum
Responsabilidades Editoriais A Revista Nordeste VinteUm, dentro de seu caráter pluralista, se pretende um veículo aberto à participação e à construção coletiva do seu conteúdo. Para tanto, trabalha com o Conselho Editorial designado pela Editora Assaré. Nesta instância, são discutidas estratégias para viabilizar e manter a periodicidade da revista, garantir o cumprimento da sua política editorial, definir os nomes dos colaboradores e acompanhar, através de ouvidoria, a relação público leitor-revista. Tudo em respeito aos ditames do bom jornalismo, cujo compromisso com a ética e a verdade são inarredáveis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: